Magazine

Edicao 140719

Description
INFORMADOMINGO - Rondonópolis, 14 de julho de 2019 - Ano L - N° 10.269 @atribunamt@atribunamt6699957-5513atribunamt.com.brVENDA AVULSA R$…
Categories
Published
of 12
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Share
Transcript
INFORMADOMINGO - Rondonópolis, 14 de julho de 2019 - Ano L - N° 10.269 @atribunamt@atribunamt6699957-5513atribunamt.com.brVENDA AVULSA R$ 2,50redacao@atribunamt.com.brTREINADOR DO FLA FAZ MISTÉRIO NA VOLTA AO BRASILEIRÃO Página B*3BANDEIRANTES EMPRESA ESPECIALIZADA NA FABRICAÇÃO DE ESTRUTURA METÁLICA E PRÉ-MOLDADOS Fazemos entrega de concreto usinado a partir de 3m³66 3421.6904 / 9 9984.8678 AV. PEDRO CAETANO RODRIGUES, 5443 DIST. IND. AUGUSTO BORTOLI RAZIA RONDONÓPOLIS MTDIVULGAÇÃOJARUDOREDeputado diz que presenciou cenas de desesperoMotociclista morre após cair e colidir em árvore PÁGINA A*5EDITORIALMIGRAÇÃOComércio retrai no centro da cidade e cresce nos bairrosROBERTO NUNESO deputado estadual Thiago Silva (MDB) diz que presenciou cenas de desespero de pessoas que moram na região do distrito de Jarudore, município de Poxoréu, há mais de meio século. O parlamentar visitou casas, comércios, propriedades rurais e levantou informações sobre o impacto da decisão judicial, assinada pela Justiça Federal, que determina desocupação de área pelos não índios, no prazo máximo de 90 dias. PÁGINA A*5DIVULGAÇÃORick Chesther no 14º Encontro de Comerciantes de RondonópolisNo centro, as lojas fechadas e para alugar têm se multiplicado Uma tendência no varejo tem chamado a atenção em Rondonópolis. Enquanto o centro da cidade tem apresentado nos últimos anos um processo de esvaziamento, com muitas lojas fechando e muitos espaços disponíveis para locação, os principais bairros e as principais avenidas/ruas do município têm visto um fortalecimento do comércio, com chegada de grandes lojas e diversificação dos negócios. Em alguns pontos comerciais de bairro é difícil achar algum ponto fechado, esperando locação.No dia 16 de julho, às 19h30, no Espaço Ideia’s Buffet, a Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis, irá promover o 14º Encontro de Comerciantes de Rondonópolis. Esse ano, o convidado para se apresentar à classe empresarial e comercial será o empreendedor Rick Chesther.ATRIBUNAPÁGINA A*3CRIANÇA E ADOLESCENTEGrupo de varejo aproveitou o show de ofertas da inauguração em Nova Bandeirantes (MT) para lançar a campanha “100sacional”. PÁGINA A*8DIVULGAÇÃOA iniciativa do Jornal A TRIBUNA em mostrar as muitas obras públicas paradas em Rondonópolis, através de uma série de reportagens especiais, gerou uma grande repercussão no ano passado, pondo luz para um grave problema que aflige grandemente o município, gera desperdício de recursos e penaliza a sociedade. Não esquecemos das nossas famigeradas obras paradas! Estamos de olho! Esse é o assunto do nosso editorial de hoje. PÁGINA A*2ACIRGRUPO GAZIN:Inaugura 100ª loja em MT e anuncia nova campanhaNão esquecemos!ECA faz 29 anos e ainda enfrenta desafios PÁGINA A*7RESSOCIALIZAÇÃOTÓPICOSEstudo deve resultar em projeto que beneficia reeducandosA Câmara Municipal quer desenvolver um estudo com o intuito de fazer um Projeto de Lei para ajudar na ressocialização dos reeducandos de Rondonópolis. Na semana que hoje termina, o Grupo de Monitoramento e Fiscalização (GMF), do Sistema Carcerário do Tribunal de Justiça, formado pelo desembargador Orlando Perri e pelo juiz Geraldo Fidélis visitou o Legislativo para falar da ressocialização penal, através da inserção de reeducandos no mercado de trabalho. PÁGINA A*3INCLUSÃO DIGITALProjeto oferece 360 vagas gratuitas à populaçãoO comércio em Vila Operária é o que mais tem se diversificado PÁGINA A*4ANA VITÓRIADe Rondonópolis para o mundo DEIVID RODRIGUESA meia Ana Vitória, de 19 anos, volta para Portugal amanhã (15) onde no seu clube atual, o Benfica, vai se preparar para a nova temporada do futebol feminino que começa entre os meses de agosto e setembro. Porém, antes de retornar para o solo europeu, a jogadora aproveita as férias para visitar a família e amigos em Rondonópolis, sua cidade natal, onde começou a trilhar o seu caminho nos gramados, até ganhar o mundo.Agentes prisionais frustraram um plano de fuga de presos da Penitenciária Mata Grande, anteontem (12). A cela estava com as grades serradas e com um buraco na parede. Confira esse e outros comentários dos principais acontecimentos do município e do Estado, excepcionalmente, na página A*3 desta edição.PÁGINA B*3Estão abertas as inscrições para o curso de operador de computador voltado à população rondonopolitana, preferencialmente de baixa renda, que será ofertado a partir do dia 5 de agosto. Totalmente gratuito, o curso atenderá pessoas acima de 14 anos de idade. Ao todo, estão sendo ofertadas 360 vagas, sendo 200 na modalidade presencial e 160 à distância. PÁGINA A*8PREVISÃO DO TEMPO PARA MATO GROSSOSe você tem alguma reclamação de seu bairro ou sugestão, entre em contato com a coluna Tópicos através do telefone (66) 99957-5513 (WhatsApp) ou (66) 3410-3500 ou através do e-mail: redacao@atribunamt.com.brCHAPA LISA DE #20 A 2”INFORMA Índice - Edição de domingo Caderno ACaderno BA1 A2 A3 A4 A5 A6 A7 A8B1 B2 B3 B4PARA ASSINAR O A TRIBUNA LIGUE 3410-3500 DAS 7h30 ÀS 19hCMYKCapa Opinião Geral Tópicos Geral SalaVip Nacional GeralClassiTudo ClassiTudo Esportes AtitudeA 2 OpiniãoJornalPede-se que as cartas contenham nome completo, assinatura, endereço (telefone). Ao A Tribuna se reserva o direito de selecionar cartas ou publicar trechos, para atender mais leitores. E-mail: redacao@atribunamt.com.brEDITORIALNão esquecemos! A iniciativa do Jornal A TRIBUNA em mostrar as muitas obras públicas paradas em Rondonópolis, através de uma série de reportagens especiais, gerou uma grande repercussão no ano passado, pondo luz para um grave problema que aflige grandemente o município, gera desperdício de recursos e penaliza a sociedade. Além de gerar uma saudável discussão sobre essa situação, foi possível mostrar para a população a quantidade expressiva de obras que iniciam e que, por motivos diversos, são conduzidas com grande morosidade ou acabam sendo paralisadas. E principalmente iniciar o acompanhamento dessas obras para que elas sejam concluídas e entregues. É crucial que haja um despertamento social sobre os malefícios das obras paradas em todo o Brasil, fazendo com que, muitos projetos, devido ao grande tempo de paralisação e problemas diversos, sejam concluídos com até duas vezes mais que os valores inicialmente projetados. E tudo isso, infelizmente, é dinheiro nosso não cumprindo sua função. O interessante é que a ideia do A TRIBUNA em acompanhar as obras públicas paradas também vem sendo seguida por outros veículos de comunicação, além do Tribunal de Contas do Estado, evidenciando a assertividade da iniciativa. Nesse sentido, o A TRIBUNA cumpre uma tarefa que o cidadão, em grande parte, não tem voz, seja para saber os problemas nas obras ou para cobrar sua conclusão. Apesar de não ser uma tarefa fácil, em meio a morosidade das ações públicas, muitas vezes acompanhada de interesses escusos de empresas e de ineficiência administrativa, uma gratificação nossa é ver que, desde o começo do ano passado, muitos dos projetos denunciados nas nossas páginas foram retomados, sendo alguns concluídos, como a continuação da Avenida Beira Rio até a BR-364. Ainda assim, o desafio é grande, considerando que as obras paradas sempre insistem em aparecer. Além disso, conforme o A TRIBUNA tem mostrado nas últimas semanas, por meio de novas reportagens, muitas obras públicas paradas denunciadas por nós em 2018 seguem sem solução, a exemplo da obra do Residencial Padre Miguel, junto ao Anel Viário. De qualquer forma, não esquecemos das nossas famigeradas obras paradas! Estamos de olho!“o interessante é que a ideia doA TRIBUNA em acompanhar as obras públicasparadas também vem sendoseguida poroutros veículosde comunicação”(*) Dom WalmorUm amigo escritor responde a esta pergunta, de modo magistral e com propriedade, com força para incomodar qualquer coração s e n s í ve l . E l e d i z : “ É p o r dentro das coisas que as coisas são. O mergulhador a b re o s o l h o s d e n t ro d o mar. O alpinista abre os olhos não além da montanha, mas dentro dela, partindo dela. Os viajantes modernos atravessam o inter ior das nuvens. É por dentro que as coisas se revelam. O orante abre os olhos dentro de Deus”. É preciso abrir os olhos. Olhos fechados não permitem ver o que é preciso e, assim, produzem ind i f e re n ç a s re s p o n s á v e i s por comprometimentos de pequenas e grandes coisas. Comprometimentos da palavra dada e não cumprida até às indiferenças que ameaçam a paz em todos os níveis. É preciso ver por dentro. Não vendo por dentro ocorrem os descompassos e prejuízos, inclusive para ofícios sacerdotais. Profissões e vocações que se pautam nos parâmetros do sacerdócio requerem uma qualificação ainda mais aprofundada, especialmente nas perspectivas humanística e espiritual. Afinal, a medida de todo(*) Francisco Assis Reabri outro sorriso Depois que você me deixou Foi essencial e preciso Pelo tempo que assim durou. Tentei ser forte o bastante Para não se envolver de imediato Recebi até proposta de amante Mas preferi o anonimato. Meditei todo esse tempo Sem perder a esperança Fiz uma faxina por dentro Por que jamais a gente se cansa. Refleti aonde errei E no que é possível melhorar Mas posso lhe garantir que amei E seria impossível negar. Não me arrependo do que fiz Para manter esse amor Fui semente e fui raiz Mas o vento levou minha flor. Perdi a paz durante meu sono Cheguei a ficar sentado à beira da cama Atravessei manhãs de outono Vivendo sozinho esse drama. Agora nem lembro mais do passado Encontrei alguém especial Ela vive aqui do meu lado Vivemos um antinupcial. (*) Francisco Assis Silva é poeta e militar - email: assislike1@ hotmail.comsacerdócio é sempre grande construção de uma sociee exige, sem dispensas, sob dade solidária, de um novo pena de desqualificação, a tempo, nos parâmetros do competência de olhar dentro desenvolvimento integral, do outro a quem se serve. Há proveria grandes e urgidas uma medida comum de todo mudanças, configurando resacerdócio, consideradas as composições e significativas diferenças de contextos e conquistas civilizacionais. De fato, não há outra circunstâncias. Essa medida é o serviço dedicado ao saída para capacitar mentes próximo e à comunidade. e corações no tratamento da Servir não se restringe a um vida como dom precioso. Tradicionalmensimples desemte, a referência ao penho maquinal. sacerdócio remeBem mais que te aos exercícios isso, é o atendisacerdotais no mento das neo alpinista abre interno da concessidades reais fissão religiosa. do próximo - a os olhos não além Mas também se quem se dedica refere ao exercío serviço. da montanha cio da medicina. Não há refemas dentro dela O u v e - s e, c o n s rência sacerdot a n t e m e n t e : “a tal mais perfeita partindo dela s medicina é um que a de Jesus. Seu sacerdócio é viajantes modernos sacerdócio”. Não poderia uma oferta magatravessam o ser diferente, por nificamente inexigir padrões de questionável. Vai comportamentos além da materia- interior das nuvens lidade. Constitui por dentro que as e p o s t u ra s q u e devem emolduum modo de ser rar os diagnósticom força res- coisas se revelam cos técnicos, que tauradora. O sacerdócio de Cris- orante abre os olhos são importantes, mas se repetidos to é, pois, modedentro de eus - ro b o t i c a m e n lar, inigualável, t e - l e va r i a m a pelo sentido real da oferta que o Mestre faz situações lamentáveis. Um de si mesmo. Jesus derrama antecipado veredito de morseu sangue redentor na cruz, te, por exemplo, poderia entrega a sua própria vida, significar menos cuidados incondicionalmente, tornan- com o paciente. O simples do-se fonte inesgotável para o cumprimento burocrático de um ritualismo sacerdoresgate total de muitos. É inspiração para toda tal é, assim, incompetência vivência sacerdotal, isto é, comprovada na tarefa de para a oferta de si. A refe- abrir os olhos. É uma incarência sacerdotal de Cris- pacidade para ir além do to, aplicada ao conjunto rito, diante da dor de quem dos ser viços dedicados à se deve servir, dos brotos de,,.O.É.OD ”suas esperanças, respeitando, de modo reverente, as suas histórias. O verdadeiro sacerdócio re q u e r f o r r o h u m a n í s t i co e espir itual. Vai muito além das competências conceituais e técnicas conquistadas, das facilidades oferecidas pelas máquinas e por receituários “pré-fabricados”, do desempenho maquinal de ritos sem alma e sem força de interpelação, como reclamam fiéis. Sem o revestimento humanístico e espiritual não se tem força para recuperar a vida. Ao contrário. Mata-se mais depressa e as palavras não falam ao coração. Isto porque, no lugar certo e para quem é devido, não se abrem os olhos. Para outros interesses e outras situações, menos importantes, é que, frequentemente, são abertos. A sociedade não encontrará novo equilíbrio apenas com o aquecimento da economia, nem somente com acer tadas refor mas. Sobretudo, espera-se que os cidadãos sejam capazes de acertar o lugar onde devem abrir os olhos: o sacerdócio, seja na confissão religiosa, seja no âmbito da saúde, na dor dos pobres e enfermos, dos sofredores e aflitos. Do contrário, serão eficientes na “fala”, no manuseio de máquinas e ritos, mas não terão força de resgate e restauração. E portas serão fechadas aos milagres da vida por não haver acerto sobre onde se abrem os olhos. (*) Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)BANANADA DE EINSTEINSe você dizer que eu... Se você dizer... “Cantou João… Se você dizer que eu desafino amor”... Mas esse nosso País é de desafiados, mesmo que de ouvidos não tão privilegiados, pois se escuta cada coisa - que fica até difícil de classificar, haja martelo... De menção implacável ao objeto que esmaga, ou melhor ataca falsos deuses, re f e r ê n c i a s e m i c o s m e nos mitos, muito diferente de João e não diabo nem Deus... ”A um salão que o cora ç ã o d e s c a n s a”, a o m e -AntinupcialRondonópolis, domingo, 14 de julho de 2019Onde se abrem os olhos?(*) Márcio MartinsCantinho do PoetaA TRIBUNA Mato Grossonos quer depois de tantas turbulências que diríamos da aposentadoria, discussões de governo, poderes de poderosos e o coração descansa? Quer e quer muito - Certamente estaremos corretos em respeitar o querer do voto e do veto, da diversidade, da realidade, mesmo que pareça por vezes grotesco, pois sempre recordar do gosto e não gosto, desafinado-estudado-aprimorado ou não, mas aqui entre a música e a realidade repensamos o que alegra o coração. Questões além do beme do mal, mesmo que entre as tensões das vitórias na américa futebolística num tom da perda da bossa da partida. Chegada alegria-tristeza... Não tem quem possa com o pato no samba e na lagoa com seu quém, quém... Joãos e Marias se perguntam quem é esse João? Aí se fala que é o pai da bossa, a bossa da garota, daquela de Ipanema, cheia de graça, a bossa nova, que sempre popular, mas pouco ouvida, talvez mais agora... Enfim, recentemente me perguntaram desse João e pensei-pensei e falei “o quefoi Senna para o esporte a partida de João é para os músicos, posso ousar que para a cultura da música brasileira...”. Perda do ícone que disputou com Beatles um dos maiores prêmios da música mundial, 5 grammys e 4 indicações, um fenômeno que foi a bossa de fala mansa e suavidade entre nuances de idas e vindas no violão que eterniza o ser imortal João Gi l b e r t o q u e c o n t i n u a r á cantando com os maiores do mundo em outro lugar... E se você dizer! (*) MÁRCIO MARTINS é psicopedagogo Dr.(t) em Ciência da Educação/UNC – martinsconsultoresass@ hotmail.comwww.atribunamt.com.brOPINIÕES ONLINEDevido a espaço, o A TRIBUNA publica apenas uma parte das opiniões dos internautas que acessam o site do jornal para comentar as notícias. O conteúdo completo dos comentários está à disposição no site do A TRIBUNAPROFESSORES NÃO ACATAM PROPOSTA E GREVE CONTINUA, EM 13/07/2019Greve injustificável, pois o estado de Mato Grosso é um dos que melhor remunera os professores proporcionalmente às horas trabalhadas. Ademais, nosso estado enfrenta um sério problema nas contas públicas, em grande parte causada pelo seu funcionalismo caro e improdutivo. Ademais, professores apresentam aposentadoria especial precoce, e se aposentam muito antes dos outros trabalhadores. É necessário que o jornal exponha o valor do salário destes professores em comparação aos outros estados. VictorDE OBRAS”, ALERTA THIAGO MUNIZ, EM 11/07/2019Talvez diminuindo os salários dos nobres edis, quem sabe, daria para tapar os buracos antes das chuvas, pensem nisso..… Natal Estão esperando exatamente isso aí; começar o tempo chuvoso para o poder público dizer: agora não dá está chovendo; essa frase é antiga! Virgilio Ferreira SobrinhoPROBLEMA PERSISTE E POPULAÇÃO SOFRE COM SUJEIRA E FUMAÇA, EM 10/07/2019EM 11/07/2019Desculpe a redação mas a queimada só é “típica” devido a falta de educação de parte da população e falta de fiscalização das autoridades. Como uns não têm educação e as autoridades não fiscalizam ocorrem queimadas de forma indiscriminada. Marcio Ross“CHUVAS SE APROXIMAM E NADAPara nós que moramos próximo ao Anel Viário estamos passandoSINALIZAÇÃO HORIZONTAL NÃO TEM AVANÇO NOS BAIRROS, Nem sinalização e nem canaletas, prefeitura apenas tentando enganar o povo com obras que iniciam mas não terminam!! @pitroskydias difíceis com as queimadas nas laterais da pista. Todo dia, toda noite fumaça, poeira e como temos um bebezinho em casa já está sofrendo as consequências com problemas respiratórios. Será que não tem como a prefeitura ou algum outro órgão deixar de plantão um caminhão-pipa na pista para que ao primeiro sinal de fumaça já localizar e ir agindo para que não aumente a queimada? É porque não está fácil aguentar. Quem sabe aparece um ser do bem para nos ajudar. Bairro Edelmina Querubim. Lisete CavarettoCARRETA TOMBA AO DESVIAR DE BURACOS NO ANEL VIÁRIO, EM 10/07/2019E cobram o trânsito pesado dentro da cidade… querem o quê?? Por que não cobram essa vergonha aí do Anel Viário?? Andreia Baganha O Anel Viário é vergonha, desrespeito e irresponsabilidade sem igual pelas autoridades responsáveis há décadas. Orlando Sabka A prefeitura deveria pagar os estragos, por isso que os motoristas preferem uma multa passandopor dentro da cidade a passar pelo Anel Viário. @tovianimt Graças a Deus, não teve mortes, mas poderia ter. E ninguém paga por isso, não é mesmo? @flavialourenco27AVENIDA DIANTE DE GRANDE INDÚSTRIA TOMADA POR BURACOS, EM 09/07/2019Muita administração e pouca ação dá nisso daí! É amarelinho que fica debaixo de árvores fazendo Deus sabe o que, porque qualquer cidadão mediano pode perceber como as pessoas respeitam o nosso trânsito. Veículos sobre calçadas é a coisa mais natural, veículos estacionados na contramão, então, é só ir até a frente do Hospital Santa Casa. “Mas não se preocupem os amarelinhos estão bem seguros debaixo das árvores”, deveriam transferir eles para o “Policiamento ambiental”…. Aqueles da Coder kkkkkkkkk “8 pessoas em uma atividade, 3 no celular, 1 na administração do serviço, 1 motorista, 3 efetivamente trabalhando! affffff quem aguenta! E a buraqueira solta! João Henrique MarcucciOs textos da coluna “Opinião do Leitor” estão liberados no site do A TRIBUNA – atribunamt.com.brJornalA TRIBUNA Mato GrossoA 3 GeralRondonópolis, domingo, 14 de julho de 2019O cotidiano das pessoas, o noticiário do dia-a-dia enfocando os principais fatos da cidade e do EstadoRick Chesther no 14º Encontro de Comerciantes de Rondonópolis No dia 16 de julho, às 19h30, no Espaço Ideia’s Buffet, a Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis, irá promover o 14º Encontro de Comerciantes de Rondonópolis. Realizado no Dia do Comerciante, o 14º Encontro de Comerciantes, promovido pela Acir e Sebrae, em parceria com a Rádio e a TV Centro América, irá trazer a Rondonópolis uma nova visão, um outro ângulo de ver e tratar sobre negócios. Esse ano, o convidado para se apresentar à classe empresarial e com
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks